23/05/2017 às 11h44min - Atualizada em 23/05/2017 às 11h44min

IPTU - Representante do Executivo não comparece em Audiência Pública que discutiu Aumento

Sem a presença de representante do Executivo, aconteceu ontem (23), na Câmara Municipal Audiência Pública que discutiu o aumento da alíquota do IPTU para Terrenos sem calçada. Cerca de 70 Munícipes estiveram presentes e as críticas ao Governo Andia foram constantes.

Redação
Fernando Campos - CMSBO
Sem a participação de representante do Poder Executivo, a Câmara de Santa Bárbara d’Oeste sediou, nesta segunda-feira (22), Audiência Pública para discussão do Projeto de Lei Complementar 35/2015, o qual altera o Código Tributário no Município. Na prática, essa alteração proposta pela Prefeitura promove a majoração da alíquota do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de 1,8%, conforme previsto no artigo 16 da Lei Complementar 196/2014, para 2,8% para lotes sem calçada. Outra mudança incluída nesse projeto prevê a concessão de descontos nesse tributo aos proprietários de terrenos em loteamentos ainda em fase de implantação, ou seja, o loteador.


Para o vereador e idealizador da Audiência Pública, Paulo Monaro (SD), apesar do elevado número de interessados presentes no Plenário Dr. Tancredo Neves, a discussão desse projeto de autoria do Executivo foi prejudicada, uma vez nenhum representante da Administração Municipal esteve presente no evento.  “Todas as questões ficaram sem respostas, até porque as dúvidas dos vereadores e da população deveriam ser respondidas por algum representante da Secretaria de Fazenda. Isso demonstra o total desinteresse da Administração Pública em falar com a população, debater assuntos importantes como a criação de imposto para donos de lotes, inclusive para aqueles sem infraestrutura”, afirmou. 

Outra dúvida apresentada pelo parlamentar é com relação ao parágrafo 5º do artigo 17 do referido projeto de lei complementar, o qual prevê descontos de 60% no IPTU para os dois primeiros anos ou até a liberação do loteamento para ocupação e de 30% para os anos subsequentes até a liberação para ocupação. Segundo Monaro, apesar de ter sido apresentada pela Prefeitura como um benefício aos donos de lotes, essa proposta do Executivo contraria a Lei Federal 6.766/1979, a qual apenas considera lote o terreno servido de infraestrutura básica. “Se o loteamento não tem as mínimas condições de infraestrutura, o munícipe não deveria ser obrigado a pagar imposto”, afirmou.

Para Antônio Pereira, coordenador do Fórum da Cidadania, a audiência pública desta segunda-feira foi positiva pelo interesse demonstrado por muitos munícipes, apesar da ausência de membros do Executivo. Segundo o líder comunitário e ex-vereador, a Prefeitura deveria dar o exemplo, construindo passeio público em seus terrenos antes de cobrar a construção de calçada pelos adquirentes de lotes. Segundo ele, a população mais pobre, que já enfrenta dificuldades para pagar as parcelas de um terreno, seria a mais penalizada com a medida. 

Além de Monaro e do ex-vereador Pereira, a Audiência Pública contou com a participação dos vereadores Antônio Carlos Ribeiro, Carlão Motorista (PDT); Edmilson Ignácio Rocha, Dr. Edmilson (PPS); Isac Sorrillo (DEM); e José Luis Fornasari, o Joi (SD); assim como do ex-vereador Hédio Brito, de munícipes de diversos bairros e de representantes de loteadores.
 
Munícipe Desabafa: O munícipe Carlos Roberto da Silva, Técnico Mecatrônica, foi um dos presentes e teceu duras críticas ao chefe do Executivo. (Acompanhe o Vídeo)
 
O que vem por aí: Dos Vereadores presentes todos se mostraram contrários ao Projeto e lamentaram a ausência da Secretária da Pasta para melhor entendimento do Projeto. Se quiser aprovação do Projeto, o Prefeito Denis Andia vai ter que trabalhar nos bastidores, pois pautas como essa costumam deixar os Vereadores tensos em votar contra a população, até mesmo os Vereadores da base aliada não se sentem a vontade com a matéria. Durante o evento, Paulo Monaro se comprometeu a convidar novamente a secretária municipal de Fazenda, Raquel Campagnol, a visitar a Câmara e prestar esclarecimentos a respeito do referido projeto em evento aberto à população. 

Procurada pela reportagem do Portal Atualidade para justificar a ausência de representantes do Executivo na Audiência Pública a assessoria de imprensa da Prefeitura não respondeu aos questionamentos.

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018