09/02/2018 às 08h30min - Atualizada em 09/02/2018 às 08h30min

Escola da fundação Romi participa de evento no IFSP campus de Campinas

Ericka Vitta, diretora do Núcleo de Educação Integrada, participa de evento no Instituto Federal de São Paulo.

Fundação Romi
Foto: Divulgação

A Coordenadoria Sociopedagógica do Câmpus Campinas do Instituto Federal de São Paulo promoveu, nos dias 1º e 2 de fevereiro, a programação do Planejamento Docente 2018. Entre as atividades da programação, a realização da conferência “As relações interpessoais e a aprendizagem humana”, proferida pela Diretora do Núcleo de Educação Integrada da Fundação Romi, Ericka Vitta. A diretora do NEI compartilhou sua experiência em processos educativos, dando ênfase em temas como aprendizagem ativa, aproximação afetiva, empatia, individualização da aprendizagem e educação integral.

Entre os pontos destacados pela educadora, a identificação das necessidades reais de cada turma, o fortalecimento das relações, a aproximação com o estudante e a empatia, como molas propulsoras para melhorar o processo ensino-aprendizagem e o rendimento acadêmico.

A relação aproximativa entre o Câmpus Campinas do Instituto Federal de São Paulo e o Núcleo de Educação Integrada iniciou no segundo semestre de 2017, quanto o NEI recebeu a ilustre visita do Pós-Doutor Pedro Augusto Pinheiro Fantinatti e de sua equipe, a Assistente Social do IFSP Campus Campinas, Eliane Ferreira dos Santos, a professora Cecília Pereira de Andrade, Docente de Matemática, e o graduando André Jonas da Silva, aluno de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. O objetivo da visita foi o intercâmbio de saberes acerca do método que a escola da Fundação Romi emprega e desenvolve suas atividades escolares: Problem-Based Learning.

Problem-Based Learning – o Aprendizado Baseado em Problemas (PBL) destaca o uso de um contexto para o aprendizado, promove o desenvolvimento da habilidade de trabalhar em grupo, e também, estimula o estudo individual de acordo com os interesses e o ritmo de cada estudante. O aprendizado passa a ser centrado no aluno, que sai do papel passivo para o de agente e principal responsável pelo seu aprendizado. Os educadores atuam como tutores (ou facilitadores) nos grupos e têm a oportunidade de conhecerem bem os estudantes e de manterem estreito contato com eles, durante todo o desafio.

“O aprendizado baseado na resolução de problemas, empregado no Núcleo de Educação Integrada por meio de desafios transversais, tem por essência a potencialização do processo de aprendizagem, o desenvolvimento da autonomia dos alunos e o estímulo às competências socioemocionais das crianças, adolescentes e jovens”, explica Ericka Vitta.

Sobre o NEI

O Núcleo de Educação Integrada é uma escola de Ensino Fundamental II cujo sistema de ensino, próprio e inovador, faz do aluno agente ativo de seu próprio conhecimento e formação para a vida. Sua proposta pedagógica atende as exigências curriculares previstas pelo Ministério da Educação e se amplia à medida que as áreas do conhecimento se integram e resignificam o saber. Através de uma metodologia problematizadora, os adolescentes são instigados à pesquisa e a resolução de desafios, favorecendo o desenvolvimento de competências socioemocionais necessárias aos desafios contemporâneos, à autonomia e às relações interpessoais. Av. Monte Castelo, 1095, Jd. Primavera - Santa Bárbara d'Oeste, SP. (19) 3499-1555.
www.fundacaoromi.org.br/nei. www.educacaoquetransforma.org.br

Sobre a Fundação Romi

Criada em 1957, em Santa Bárbara d'Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi, a Fundação Romi tem como missão promover o desenvolvimento social e humano através da educação e cultura.  Pioneira na promoção da comunidade regional e na realização de ações sociais, atende mais de 30 mil pessoas por ano através de seus dois grandes eixos: Educação e Cultura. Dentre elas está a manutenção do Núcleo de Educação Integrada, sua escola de Ensino Fundamental II, com atendimento integral de mais de 200 adolescentes. Além disso, promove, através de seu Centro de Documentação Histórica, o projeto de Educação Patrimonial que atende mais de 8 mil crianças, da rede municipal do Ensino Fundamental I, para reconhecimento e conhecimento da história local como elemento de cultura e cidadania, e o Processamento Técnico da memória do município para guarda, preservação e disponibilização do acervo à população para consulta e pesquisa. Não bastasse isso, por meio de oficinas livres, culturais e de formação, a Estação Cultural atende mais de 10mil pessoas através de projetos de fomento à economia criativa, de elevação do status cultural e de ações socioeducativas. Tendo como apoiadora a Indústrias Romi S.A., instituições governamentais e não governamentais e demais parceiros da iniciativa privada, a Fundação Romi objetiva, continuamente, atingir um maior número de beneficiários por meio de suas áreas de atuação, seus programas e projetos. Av. Monte Castelo, 1095, Jd. Primavera - Santa Bárbara d'Oeste, SP. (19) 3499-1555.
www.fundacaoromi.org.br.

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018