20/03/2017 às 15h00min - Atualizada em 20/03/2017 às 15h00min

União Europeia, Coreia do Sul e China anunciam restrições à carne brasileira após operação da PF

Presidente Michel Temer afirma que o agronegócio não pode ser desvalorizado por um "pequeno núcleo" e por uma "coisa que será menor".

Redação
Google
Após a Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal na última sexta-feira (17) e que apontou fiscalização irregular de frigoríficos no Brasil, alguns países importadores anunciaram restrições temporárias à entrada de carne brasileira, entre eles a União Europeia, Coreia do Sul e China.
 
Hoje (20), o presidente Michel Temer afirmou que o agronegócio não pode ser desvalorizado por um "pequeno núcleo" e por uma "coisa que será menor". Ele defendeu o sistema sanitário e reafirmou que os frigoríficos investigados representam um número pequeno do total.
 
A investigação da PF apontou um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos no país. No total, são 21 empresas investigadas, entre elas as maiores do setor. Até o momento apenas 3 frigoríficos foram interditados.
 
operação envolve grandes empresas, como a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, e também a JBS, que detém Friboi, Seara, Swift, entre outras marcas, mas também frigoríficos menores, como Mastercarnes e Peccin, do Paraná.
 
Segundo as associações do setor de carnes, de forma preventiva cinco unidades já foram suspensas. Dessas empresas, 4 estão impedidas de exportar para a União Europeia, e uma para Hong Kong. As unidades não podem operar nem no mercado interno.
 
Restrições à carne brasileira
 
·                   UE: pediu que o Brasil suspenda a exportação de empresas envolvidas
·                   CHINA: carnes brasileiras estão retidas nos portos
·                   COREIA DO SUL: baniu frangos da BRF; empresa diz que não foi notificada
·                   CHILE: suspendeu temporariamente a importação da carne bovina
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018