17/06/2021 às 20h07min - Atualizada em 17/06/2021 às 20h07min

Prefeitura diz que pandemia tem momento crítico em Santa Bárbara

Reprodução

Em meio a um dos momentos mais críticos da pandemia, a ocupação dos leitos que atendem pacientes contaminados com o Coronavírus atinge altas taxas na rede pública e na rede particular. Atualmente, todas as unidades de Saúde têm encontrado dificuldades em atender o cidadão, já que a estrutura está sobrecarregada, com insumos e equipamentos escassos, além da sobrecarga física e psicológica dos profissionais de Saúde.



Conforme boletim divulgado na quarta-feira (16), Santa Bárbara d’Oeste tem 18.160 casos confirmados, sendo 16.647 curados e 607 mortes por Covid-19; há ainda 3.080 casos suspeitos (aguardando resultado de exames).

Ainda de acordo com o boletim, os hospitais da Unimed (40 leitos), São Lucas (17 leitos) e São Francisco (14 leitos) estavam com 100% dos leitos com respiradores ocupados. A ocupação máxima também ocorreu nos leitos sem respiradores da Unimed (28 leitos) e do São Francisco (15 leitos), enquanto o São Lucas (16 leitos) apresentava 88% de ocupação neste tipo de leito. O momento atual demonstra extrema gravidade.

Assim como a rede particular, a rede pública também apresenta alta ocupação de leitos. Conforme boletim desta quarta-feira (16), a ocupação na rede pública de Santa Bárbara era de 100% dos leitos de UTI (26 leitos), 56% dos leitos com respiradores (32 leitos) e 90% dos leitos sem respiradores (50 leitos).

“Com o atendimento dos convênios já no limite, como apontado em reunião técnica na última semana entre as instituições particulares Unimed, São Lucas, São Francisco, Associação Médica de Americana (AMA), Associação Paulista de Medicina (APM) de Santa Bárbara d’Oeste e representantes das Prefeitura de Americana, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste, um Comitê Técnico de Covid-19 foi criado para unir forças e propor ações conjuntas contra o avanço da pandemia nessa microrregião. Vale ressaltar que, desde o início da pandemia, há 15 meses, Santa Bárbara d’Oeste foi a cidade que mais abriu leitos para o atendimento de pacientes com Covid-19. E a Prefeitura segue trabalhando para a implantação de mais leitos. De março de 2020 até os dias atuais, a rede pública barbarense não deixou de atender um paciente sequer e Santa Bárbara foi uma das poucas cidades no Estado de São Paulo a manter o seu Hospital de Campanha em pleno funcionamento”, informou a prefeitura.

A rede pública barbarense conta hoje com 108 leitos para o enfrentamento da Covid-19, divididos da seguinte forma:

• 26 leitos de UTI Covid-19 no Hospital Santa Bárbara
• 20 leitos com respiradores e 30 leitos clínicos (sem respiradores) no Hospital de Campanha
• 12 leitos com respiradores e 20 leitos clínicos (sem respiradores) no PS “Dr. Edison Mano”

E além dos 108 leitos da rede pública de Saúde, o cidadão barbarense que dispõe e paga pelos planos de Saúde pode ser atendido em leitos da rede particular (instalados em hospitais de Americana e demais cidades da região). 

“É fundamental neste momento que cada cidadão tome as atitudes necessárias para reduzir a transmissão do vírus. Todo o esforço coletivo das redes pública e particular de Saúde somente terão resultado se cada cidadão fizer a sua parte. As medidas sanitárias devem ser rigorosamente seguidas pelas pessoas, com distanciamento social, uso de máscaras, álcool em gel, vacinação e todos os cuidados necessários. É um compromisso com a vida, para que mais rápido possível possamos retomar todas as atividades dentro de uma normalidade”, frisou a prefeitura.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018