08/12/2019 às 13h22min - Atualizada em 08/12/2019 às 13h22min

Ex secretário de Americana se pronuncia pela primeira vez

Juninho Barros se diz inocente das acusações de propina.

Em carta divulgada a imprensa na tarde deste sábado (7), o ex secretário de Governo de Americana, Juninho Barros nega ter recebido propina. Ele chegou a ser preso na última semana, suspeito de ter participado de um esquema de fraude em licitações de merenda, duranate a Operação Cadeia Alimentar II.  
Juninho pediu exoneração de seu cargo na prefeitura após deixar a prisão. Esta foi a primeira vez que ele se pronunciou publicamente sobre as acusações. 

O ex secretário declarou ainda que foi usado por José Geraldo Zana, dono de um frigorífico. O empresário denunciou Juninho em uma delação premiada. 

Confira a carta na íntegra:

Após uma semana de muita tristeza e angústia, mas também de muita reflexão, gostaria de me manifestar a respeito dos eventos que envolveram o meu nome recentemente. Assim como fiz nos meus depoimentos à Polícia Federal, exijo responder apenas pelos meus atos, e não por aquilo que se atribuiu a mim falsamente. Quero esclarecer que não recebi o dinheiro que meu acusador, um réu que fez uma delação inconsistente e mentirosa, diz ter pago. Dentro da legalidade, recebi na conta de familiares um valor ínfimo se comparado ao que vem sendo atribuído a mim.

A mim foram atribuídos falsamente pagamentos feitos por meio de depósitos a terceiros, em contas de pessoas que eu desconheço e que não têm envolvimento comigo. O Liberal aponta que eu teria recebido até R$ 150 mil desse senhor; é mentira. No meu depoimento me questionaram sobre uma série de nomes, que ele diz terem recebido por mim, e eu sequer conheço a maioria deles.

Quem está sendo protegido por este homem? Ele me usou para disfarçar os seus reais malfeitos e, provavelmente, para proteger seus cúmplices. Enquanto isso, venho sendo acusado injustamente.

Se há uma coisa que fiz desde 9 de janeiro de 2015, quando me tornei secretário de Governo, foi prezar para que todos os meus atos ocorressem de forma honesta. 

A minha acusação é confusa; primeiro ele me aponta por "facilitar" coisas que comprovadamente não ocorreram, como o pagamento relativo a dívidas do passado, e depois sobre uma licitação com a qual eu não tive acesso ou envolvimento. A Secretaria de Governo não é responsável por licitar ou pagar fornecedores e eu jamais tive poder para isso!

Na verdade, os contratos da atual administração sequer são investigados, e em um ano e meio entre as fases da operação tenho certeza que a polícia o faria se tivesse visto irregularidades. Eu fiz parte dessa administração por quase cinco anos, me orgulho do trabalho que fiz e posso dizer com tranquilidade que nenhum tipo de falha moral foi cometida por mim ou diante dos meus olhos. 

Eu desafio aqueles que me investigam a chamarem cada um desses nomes que meu acusador disse terem recebido por mim. Em momento algum meu nome será citado. Se receberam, em nome de quem receberam? Quem é esse, ou quem são, esses beneficiários que se escondem enquanto eu sou falsamente acusado? 
 
Neste momento, estou concentrado na minha defesa e na retomada da minha vida, depois do que passei. Tenho confiança de que, na esfera adequada, elucidarei todos os fatos, desmontarei essa farsa e a Justiça será feita!

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018