16/04/2019 às 22h01min - Atualizada em 16/04/2019 às 22h01min

Celso Ávila gera crise institucional entre S.Bárbara e cidade mineira

Declarações de vereador e advogado foram estopim para tensão entre municípios

BETO SILVA
Cláudio Mariano - SBNoticias
Os argumentos usados pelo vereador Celso Ávila (PV) para aprovação do seu projeto de lei que proíbe o uso de fogos de artíficio na cidade, gerou uma crise institucional sem precedentes na história da Câmara de Vereadores de Santa Bárbara d'Oeste. 

Nesta terça-feira (16), o prefeito de Santo Antonio do Monte, em Minas Gerais,  Edmilson Aparecido Costa, o Dinho do Bráz (PSDB), chegou cedo a Santa Bárbara. Acompanhado de uma comitiva formada por advogados e diretores do  Sindicato de Pirotecnia, o tucano tinha como missão desfazer o mal entendido gerado por uma entrevista de Ávila a um programa de rádio local, dias antes da aprovação da sua lei. 

Na ocasião, o parlamentar disse à âncora do programa, que a fabricação de fogos de artíficio empregava mão de obra infantil. A informação do vereador foi reforçada com observações do advogado Danilo Bom, que o acompanhava, e que se referiu à cidade mineira de Santo Antonio do Monte como um "campo de guerra, onde pessoas mutiladas andavam pelas ruas, todas vítimas de acidentes provocados por explosões na fábrica de fogos".  

A entrevista - gravada por um celular - foi enviada ao prefeito mineiro e caiu como uma bomba na cidade com cerca de 28 mil habitantes e que tem a produção de fogos de artifício como principal atividade econômica.  

Desde que tomou conhecimento das declarações do vereador barbarense, Dinho do Bráz,  decidiu vir à cidade paulista para tirar satisfações com o vereador. A maneira ofensiva como parlamentar e advogado se referiram ao município gerou impacto em outros poderes legislativos. 

O deputado estadual Cleitinho Azevedo (PPS) fez duras críticas a Avila e o chamou de "otário, idiota e babaca". Já o deputado federal Domingos Savio (PSDB) disse que "ele envergonha os vereadores brasileiros". 
 
MEDIDAS CABÍVEIS 

Após se reunir com o prefeito Denis Andia (PV) e conceder entrevistas a emissoras de rádios da cidade, a comitiva mineira seguiu para a Câmara de Vereadores. Em uma reunião a portas fechadas com os parlamentares - incluindo Celso Ávila - Dinho do Bráz expôs os motivos da sua visita e ouviu pedidos de perdão do verde. 
Após a conversa reservada, o tucano usou a tribuna por cinco minutos para desfazer a imagem da cidade do qual é prefeito, na tentativa de dissipar a fumaça causada pelas declarações do vereador barbarense. 

Ao final, o prefeito mineiro disse que veio a Santa Bárbara representando a população de Santo Antonio. Ele disse que iria apresentar à Câmara Municipal os documentos e as gravações para estudar quais medidas tomar. Ele garantiu que irá "adotar todos os remédios jurídicos cabiveís", não descartando processar e pedir a quebra de decoro parlamentar do vereador Celso Ávila e de denunciar o advogado Danilo Bom à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) local.  
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018