23/08/2018 às 09h35min - Atualizada em 23/08/2018 às 09h35min

Nova Odessa confirma a primeira morte na cidade por H1N1 em 2018

O paciente, um homem de 74 anos, faleceu no dia 27 de junho

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
A Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa recebeu neste mês a confirmação, por parte do Instituto Adolfo Lutz, de uma morte provocada por H1N1. O paciente, um homem de 74 anos, que faleceu no dia 27 de junho, estava internado em um hospital particular de Americana, não tinha registro de vacina contra a gripe em 2017 e 2018 e apresentava problemas pulmonares. "É um paciente que fazia parte do grupo de risco, mas que, infelizmente, não procurou se vacinar, mesmo com enfermidades preexistentes", afirmou o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato. "Por isso sempre reforçamos a necessidade de vacinação", completou.



Ainda de acordo com a Vigilância Epidemiológica, foram registradas até o momento 18 notificações, com um caso positivo para H1N1 (óbito). No ano passado, foram 8 notificações, com três casos positivos de Influenza A (H3N2) - com um óbito - e três casos de VSR (Vírus Sincicial Respiratório)

A Prefeitura de Nova Odessa, através da Vigilância, efeituou diversas ações para facilitar o acesso da população às vacinas. Algumas medidas contribuem também para prevenir a doença. São cuidados simples com a higiene diária, fundamentais para evitar a contaminação,
como lavar as mãos com água e sabão com frequência e evitar colocar as mãos no rosto. O uso do álcool em gel na impossibilidade de lavar as mãos também é fundamental. Usar lenço de papel descartável para tampar a boca e o nariz ao tossir e espirrar e ingerir bastante líquido, além de se alimentar adequadamente, são outras orientações.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018