29/06/2018 às 20h12min - Atualizada em 29/06/2018 às 20h12min

Após morte suspeita, prefeitura estuda cercar APP para afastar capivaras em S. Bárbara

Amanda Sabino - amanda@portalatualidade.com.br
Foto: Reprodução
Após a morte de um morador do Jardim Europa, em Santa Bárbara d’Oeste, por suspeita por febre maculosa, que aconteceu na última quarta-feira, a Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste afirmou que pretende cercar a Área de Preservação Permanente (APP) do Jardim Icaraí, a pedido dos moradores, para afastar as capivaras das casas.
 
A informação foi dada nesta sexta-feira (29) pelo secretário municipal de saúde, Cleber Canteiro, durante reunião com membros da Comissão de Política Social, representantes do executivo e moradores do Jardim Icaraí realizada na Câmara Municipal a pedido do vereador Celso Ávila (PV).
 
“As capivaras têm aparecido na garagem dos moradores do Jardim Icaraí e isso tem causado preocupação em função do risco de transmissão de febre maculosa. Por isso, convocamos essa reunao hoje para discutir sobre ações para amenizar o problema. Afinal, o problema das capivaras e a eminente febre maculosa causada pelo carrapato estrela é uma questão de saúde pública”, explicou o vereador.
 
Ávila classificou a reunião como produtiva e agregadora. “Os moradores puderam expor o problema do grande número de capivaras no bairro, especialmente na Rua Itararé, e pediram que a prefeitura cercasse a APP. Eles vão, inclusive, fazer um abaixo-assinado para reforçar o pedido do cercamento da área. Sabemos da dificuldade em controlar o problema, uma vez que se trata de uma área próxima ao rio que é habitat natural das capivaras”, disse o parlamentar.
 
Segundo o secretário de Meio Ambiente, a prefeitura vai estudar a colocação de uma barreira física para afastar as capivaras das residências, além de fazer um trabalho de conscientização e educação ambiental e limpar a área. “Diante do pedido deles iremos até o local para ver o que conseguimos fazer, como a colocação de uma barreira física, como um alambrado ou uma cerca, para tentar afastar os animais das moradias. Através da Secretaria de Saúde e do CCZ vamos fazer um trabalho de conscientização e educação ambiental junto à população para que tenhamos menos riscos de transmissão de febre naquele local”, afirmou.



Canteiro repassou, ainda, algumas recomendações para as pessoas evitarem as áreas de risco e, consequentemente, se prevenirem contra a doença. “Recomendamos evitar as áreas de margens de córregos e rios, que são os locais onde as capivaras vivem. Caso seja realmente necessário, quando sair da área a pessoa deve fazer uma vistoria no corpo para procurar se há algum carrapato. Vale lembrar que até 15 dias após a ida a essas áreas podem aparecer sintomas da febre maculosa, como dor no corpo e febre. Na presença desses sintomas, é indicado procurar uma unidade de saúde e informar o médico que se esteve numa área de risco de infestação de carrapato estrela”, frisou.

A Secretaria de Saúde de Santa Bárbara d'Oeste informou que em 2018 foram registradas 16 notificações suspeitas para Febre Maculosa no Município, sendo 6 com resultado negativo e oito notificações suspeitas que seguem aguardando resultado. Foram registrados 2 casos positivos para a doença com um óbito confirmado de um homem de 38 anos, ocorrido no dia 07/06. Em 2017 foram registrados dois casos positivos para a doença também com um óbito confirmado.

Os setores de Vigilância Epidemiológica e Centro de Controle de Zoonoses realizam periodicamente um mapeamento para identificação das áreas de risco e áreas de transmissão da doença. Todas as áreas de risco e áreas de transmissão no município possuem placas de identificação com alertas para a população sobre os locais com a presença de carrapato-estrela (transmissor da doença).

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018