24/04/2018 às 20h21min - Atualizada em 24/04/2018 às 20h21min

Aplicativo SimSimi ameaça estudante de Americana

Amanda Sabino - amanda@portalatualidade.com.br
Foto: Arquivo Pessoal
O aplicativo coreano SimSimi tem preocupado mães e pais brasileiros por expor crianças a conteúdo supostamente inadequado. Na semana passada, uma estudante de 12 anos, moradora de Americana, foi ameaçada pelo aplicativo ao dizer que iria desinstalá-lo do celular, a pedido da avó.
 
O programa simula um bate-papo entre o usuário e um personagem virtual. O motivo para as críticas dos pais nas últimas semanas é que o conteúdo das conversas é "ensinado" por outros usuários ao próprio aplicativo, criando um banco de dados que é utilizado aleatoriamente. Em uma das funcionalidades, é possível escrever uma pergunta e, ao mesmo tempo, inserir a resposta que seria correta. O conteúdo inserido nessa função é adicionado à memória do app, que passa a utilizá-lo nos chats - que são automatizados.
 
Após saber do SimSimi pelo grupo do WhatsApp de membros da igreja que frequenta, a dona de casa Maria Aparecida de Souza Alves, de 53 anos, foi vistoriar o celular da neta Alice Vitória, de 12 anos, estudante da 7ª série, e ficou surpresa ao encontrar o aplicativo instalado. “Por incrível que pareça, eu não sabia que isso existia. Confesso que fiquei surpresa quando eu fui vistoriar o celular da minha neta e encontrei esse aplicativo e achei que não era nada. Aí vi no grupo do Whatsapp da igreja que isso era sério”, explicou.
 
A avó, que é responsável pela menina, pediu para que a neta desinstalasse o aplicativo e, então, veio a grande surpresa. “Pedi para ela desinstalar e ela falou para o aplicativo que ia apaga-lo do celular. Imediatamente, ela foi ameaçada. Ele disse que se ela apagasse iria matar todo mundo que ela conhecia, falou que tinha pegado a irmã dela e que faria todos sofrerem, pois quem desafia ele jamais sai vivo”, contou.
 
A avó lembrou, ainda, que ficou tão assustada na hora que pediu para Alice tirar um print da tela com as ameaças. “Eu pedi para ela tirar um print antes de apagar para que pudéssemos enviar isso para quem conhecemos e mostrarmos para as pessoas que isso é real, é sério e está acontecendo mesmo. As vezes os pais e responsáveis acham que essas coisas são bobeiras e não vão interferir na vida da criança, mas, ao contrário do que parece, ele não é um jogo de criancinha. Esse aplicativo tem várias palavras escritas errado, é cheio de palavrões, ensina coisas erradas e faz ameaças”, disse Maria.
 
Para a dona de casa, é preciso muita atenção por parte dos pais e responsáveis pelas crianças. “O celular acaba virando uma arma dentro de casa. Por isso, temos que ficar atentos o tempo todo. Infelizmente, a tecnologia, muitas vezes, é preocupante”, alertou.
 

Preocupações
Somente no Google Play, plataforma para celulares que utilizam o sistema Android, o SimSimi teve mais de 50 mil downloads nos últimos anos. Ele também pode ser baixado pelo iTunes.
 
Em outros países, como Tailândia e Irlanda, o SimSimi chegou a ser alvo de críticas há alguns anos. No Brasil, contudo, os comentários negativos aumentaram no fim de 2017.
 
Nas últimas semanas, centenas de pais e mães têm publicado avaliações negativas sobre o aplicativo na internet.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018