19/02/2018 às 09h13min - Atualizada em 19/02/2018 às 09h13min

Uso de tablets incrementa as ações de combate ao Aedes aegypti em S.Bárbara

Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste
Foto: Divulgação
Modernização e pioneirismo. A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste segue inovando nas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti - transmissor da dengue e de outras arboviroses - no município. A utilização de tablets para o registro de dados nas atividades de combate ao mosquito, em substituição às planilhas manuais, já se consolidou como uma importante ferramenta para o trabalho diário dos agentes de controle de endemias do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). O trabalho com dispositivos móveis iniciou em agosto de 2017 e hoje é utilizado em todas as atividades realizadas pelos profissionais do setor.

A ferramenta é utilizada durante as visitas domiciliares (casa a casa) dos agentes para vistoria e orientações referentes ao Aedes aegypti, durante as visitas aos Pontos Estratégicos (borracharias, floriculturas, cemitérios e demais estabelecimentos com alta probabilidade de proliferação de mosquitos), visitas aos Imóveis Especiais (locais de grande circulação de pessoas, como shoppings, hospitais, escolas) e durante as atividades de bloqueio / nebulização nas áreas de comprovada transmissão viral.

Os agentes registram os dados referentes às visitas nos tablets (usando o aplicativo SISAMOB) e as informações são salvas, juntamente com as coordenadas geográficas de onde elas foram produzidas. Ao retornar à base (Vigilância em Saúde), eles exportam a produção do período ou do dia (via rede WI-FI) para um sistema chamado SISAWEB. As informações transmitidas pelos agentes são verificadas e, em seguida, sincronizadas com o banco de dados estadual. Os dados armazenados no sistema podem ser consultados em forma de planilhas e mapas, para avaliação e programação das atividades.


A secretária de Saúde, Lucimeire Cristina Coelho Rocha, ressaltou que a medida gera diversos benefícios, como economia de papel e menor tempo para a consolidação dos dados no sistema estadual. “Os dados coletados pelos agentes são enviados diretamente para o sistema informatizado e, após conferência, sincronizados com o banco de dados estadual. Importante reforçar que a ferramenta, apesar de importante, apenas agiliza o registro e consolidação dos dados. Entretanto, os métodos de combate ao mosquito continuam os mesmos, sendo a eliminação de focos e possíveis criadouros (qualquer objeto que acumule água) a medida mais importante a ser realizada por todos para a prevenção de doenças como dengue, zika e chikungunya”, destacou.

A Prefeitura segue diariamente com ações de controle do vetor realizadas pelos agentes de controle de endemias, como as visitas domiciliares para inspeção e orientação à população quanto às medidas preventivas, bloqueio, controle e retirada de criadouros, nebulização e bloqueio de transmissão, visita a pontos estratégicos e imóveis especiais, busca ativa de suspeitos e atividades de informação, educação e comunicação à população.

Por meio dos diversos serviços realizados e ações ininterruptas, Santa Bárbara d’Oeste conseguiu reduzir em 95% o número de casos de dengue em 2017, comparando ao número de casos positivos de 2016. Neste ano, até o momento, não foi registrado em Santa Bárbara d’Oeste nenhum caso positivo de dengue, zika e chikungunya.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018