02/02/2018 às 19h38min - Atualizada em 02/02/2018 às 19h38min

Justiça determina afastamento de 13 dos 15 vereadores de Paulínia

Cristiane Caldeira - cristiane.caldeira@portalatualidade.com.br
Redação
Foto: Arquivo/Portal Atualiade
A Justiça determinou o afastamento de 13 dos 15 vereadores da Câmara de Paulínia e a convocação imediata dos suplentes para a votação de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar denúncias contra o perfeito Dixon Carvalho (PP). A CPI pode resultar na cassação do prefeito e dos vereadores da base aliada. Só os dois vereadores de oposição foram mantidos.

A decisão do juiz da 1ª Vara, Carlos Eduardo Mendes, foi manifestada em mandado de segurança impetrado por Luis Roberto de Lima, que denunciou esquema de compra e venda de votos para que fossem arquivadas duas CPIs contra o prefeito.

Os vereadores de situação são acusados de acobertar atos de improbidade do prefeito, em troca de vantagens indevidas. Por este motivo, a mesma decisão anulou uma sessão realizada no dia 29 de agosto do ano passado, que arquivou pedido de CPI para investigar o prefeito.

"Diante dessa relação supramencionada, foi possível impedir a instauração de duas CPI's contra o prefeito, mediante tratativas consideradas imorais, que se demonstram por meio de conversas via 'whatsapp'", argumenta o juiz.

Na decisão manifestada ontem (01), o juiz determina a convocação dos suplentes para votação da abertura da CPI, em sessão extraordinária a ser realizada no prazo de 48h após a notificação da sentença. A Câmara ainda pode recorrer.

A Assessoria de Imprensa da Câmara de Paulínia informou que não irá se manifestar, pois ainda não foi notificada. "Quando for, irá apresentar sua posição nos autos", respondeu, em nota.

DIXON INVESTIGADO

O prefeito de Paulínia é investigado pelo Ministério Público por supostas fraudes em licitações em contratos de coleta de lixo. O esquema teria beneficiado o chefe do Executivo e seus familiares.

Em novembro do ano passado, durante operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público, e Polícia Militar, mandados de busca e apreensão foram cumpridos na cidade.

Dixon, a primeira-dama e o genro dele, dois secretários municipais de Paulínia, Valdir Terrazan (Obras e Serviços Públicos) e Reginaldo Vieira (chefe de Gabinete) foram levados pela polícia para serem ouvidos na sede do MP, em Campinas.

O vereador José Carlos Coco da Silva, o Zé Coco (PV), também foi alvo de condução coercitiva e o gabinete do vereador Edilson Rodrigues Júnior, o Edilsinho (PSDB), foi alvo de busca e apreensão. 

Na mesma operação, foram presos temporariamente os empresários Diogo Soares Rodrigues da Silva e Carlos Henrique de Oliveira, apontados como representantes da empresa Filadélfia, que integra consórcio com duas companhias para fazer a gestão da coleta de lixo no município.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018