01/02/2018 às 11h25min - Atualizada em 01/02/2018 às 11h25min

Servidora da Prefeitura de Santa Bárbara denuncia colega por assédio sexual

Cristiane Caldeira - cristiane.caldeira@portalatualidade.com.br
Redação
Foto: Divulgação
Uma servidora da Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste, de 35 anos, denunciou um colega de trabalho por assédio sexual. Segundo reportagem da TV Record, a conduta inadequada do colega de setor teria ocorrido no dia 3 de janeiro e o caso foi comunicado por ela ao seu superior e ao RH (Recursos Humanos). A prefeitura informou que apura os fatos através de processo administrativo disciplinar.

Segundo relato da servidora, que está afastada do trabalho por recomendação médica, no dia dos fatos, ela e o colega estavam sozinhos no setor em que trabalham, no Paço Municipal, porque estavam em escala especial de trabalho. O acusado, que trabalha com ela há dez anos, a teria tocado, sem seu consentimento, com massagem no ombro (que desceu até próximo ao seio), aperto na cintura e beijo no ombro.

A mulher relata ter se afastado com o movimento da cadeira giratória em que estava sentada e o advertido. Ela contou à reportagem que esperou alguns dias e comunicou o ocorrido ao seu superior hierárquico e também o Departamento de RH. 

A servidora arquivou mensagem de seu superior dizendo que tinha conversado com o acusado, e que ele se disse arrependido e pediu desculpas. Ela acusa a administração municipal de estar "protegendo o assediador".

Devido ao ocorrido e seu estado emocional, a funcionária recebeu um atestado de sua médica psiquiatra, no dia 11 de janeiro, recomendando o afastamento dela do trabalho por 60 dias. Esse atestado foi entregue por ela ao RH da prefeitura.
 
TROCA DE ATESTADO
 
Na reportagem, a denunciante contou, ainda, que quando foi à prefeitura buscar o atestado para dar entrada no pedido de afastamento no INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), recebeu outro documento, assinado por um médico com o qual nunca se consultou. Ela alega ter recebido como resposta ao questionamento sobre a troca do documento que "os dizeres que estavam no seu atestado eram muito fortes". 

Questionada sobre a denúncia da servidora sobre o assédio e sobre a troca de atestado, a Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste limitou-se, em nota, a informar que "A Administração Municipal repudia veementemente qualquer tipo de assédio. Para apurar os fatos com rigor foi aberto um processo administrativo disciplinar."

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018