04/11/2020 às 16h54min - Atualizada em 04/11/2020 às 16h54min

Justiça bloqueia bens de Chico Sardelli

Redação
Reprodução / Facebook
A pedido do Ministério Público, a Justiça determinou o bloqueio de R$ 581 mil em bens do candidato a prefeito e ex-deputado Chico Sardelli (PV). Ele é acusado de ter recebido em 2013 doação ilegal (caixa 2) no valor de R$ 100 mil para cobrir gastos de campanha. Ao Portal Atualidade, Sardelli negou as acusações.


O bloqueio dos bens do candidato é baseado em delações de ex-executivos do Grupo CCR, proprietário da concessionária AutoBAn, que afirmaram que Chico pediu R$ 100 mil para o pagamento de despesas eleitorais. De acordo com as delações, outros políticos também foram beneficiados, totalizando aproximadamente R$ 46 milhões em doações. 

Na ação, a promotoria afirma que Sardelli cometeu “grave desvio de poder e, assim, transgrediu o princípio da moralidade administrativa”, e que o deputado enriqueceu ilicitamente com as doações e deve “ser condenado pelo mal causado à sociedade”. 

O Ministério Público também  pede que o candidato seja condenado ao pagamento de R$ 581 mil, que perda a função pública que supostamente estiver exercendo ao ser condenado e tenha a suspensão dos direitos políticos por um período de oito a dez anos. 

O juiz José Gomes Jardim Neto, da 7ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, concedeu a liminar do bloqueio de R$ 581 mil em bens e afirmou que entende que há indícios de que a delação seja verdadeira. “Há indícios firmes do quanto alegado na inicial. Entre outros elementos, há extratos bancários comprovando os saques por empresas indicadas para viabilizar as operações de caixa 2, bem como declaração de Renato do Valle, em que aponta a entrega dos valores a Chico Sardelli”, aponta a decisão de primeira instância. 

Questionado sobre o assunto, Chico Sardelli afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que é ficha limpa e nunca recebi recursos de forma irregular. "Muito me estranha que a poucos dias da eleição, um processo baseado em um fato de 2013 e que envolve até mesmo políticos de Americana, tenha uma movimentação com relação ao meu nome, que sou candidato a prefeito. À época eu sequer era candidato e, nessa investigação o MP vai chegar à mesma conclusão que a Justiça Eleitoral, que aprovou todas as minhas contas eleitorais. Sou ficha limpa e nunca recebi recursos de forma irregular desta ou de qualquer outra empresa e o processo só vai comprovar isso", disse. 

Com os bens bloqueados, o processo segue tramitando na Justiça e Sardelli poderá apresentar defesa. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018