21/07/2017 às 14h57min - Atualizada em 21/07/2017 às 14h57min

O governo vai na contramão ao aumentar mais impostos.

Nivaldo J Silva
http://www.fiesp.com.br/noticias/temos-que-ser-radicais-governo-nenhum-pode-aumentar-impostos-afirma-skaf/
Estamos em uma crise muito forte, a mais crítica de toda história do Brasil, e o governo vem na contramão ao aumentar no dia de hoje os impostos PIS/Cofins sobre combustíveis.
A solução seria cortar gastos e não aumento dos impostos, o Brasil já é o pais que tem o maior valor de arrecadação em todo o mundo, não é o aumento de mais imposto que vai resolver a questão dessa crise econômica.
Todos nós estamos cortando gastos no dia a dia. Por que o governo não poderia fazer o mesmo?
 
As entidades de classe ficaram indignadas com a medida, a FIESP emitiu uma nota oficial:

Não cansaremos de repetir: Chega de Pagar o Pato. Diga não ao aumento de impostos! Ontem, hoje e sempre.

Há apenas 3 meses, cobramos publicamente o ministro da Fazenda sobre suas declarações de que pretendia aumentar impostos. Fomos ouvidos.

Nesta semana, ficamos indignados com o anúncio da alta de impostos sobre os combustíveis.

Ministro, aumentar imposto não vai resolver a crise; pelo contrário, irá agravá-la bem no momento em que a atividade econômica já dá sinais de retomada, com impactos positivos na arrecadação em junho.

Aumento de imposto recai sobre a sociedade, que já está sufocada, com 14 milhões de desempregados, falta de crédito e sem condições gerais de consumo.

Todos sabem que o caminho correto é cortar gastos, aumentar a eficiência e reduzir o desperdício.

De janeiro a maio deste ano, em comparação com o mesmo período de 2016, o governo cortou R$ 11 bilhões de investimento. Também cortou R$ 12 bilhões de outras despesas. Porém, este esforço foi por água abaixo devido ao aumento de R$ 12 bilhões em gastos com pessoal (11,8% acima da inflação) e ao aumento de R$ 15 bilhões em gastos com a Previdência.

A Fiesp mantém sua coerência. Desde 2015 empreendemos forte campanha contra o aumento de impostos, que obteve amplo respaldo popular, com 1,2 milhão de assinaturas. Conseguimos evitar a recriação da CPMF e outras tentativas de aumento de impostos.

Mantemos nossas bandeiras e convicções, independentemente de governos. Somos contra o aumento de impostos porque acreditamos que isso é prejudicial para o conjunto da sociedade. Não cansaremos de repetir: Chega de Pagar o Pato. Diga não ao aumento de impostos! Ontem, hoje e sempre.

Paulo Skaf

Presidente da Fiesp e do Ciesp 
 

Voltaremos nesse assunto em um próximo artigo para aprofundar a questão dos impostos no Brasil.
Um abraço e até o próximo!
Nivaldo J Silva
Relacionadas »
Comentários »

Manifestação na câmara municipal de Santa Bárbara, servidores municipais cobrando sobre o reajuste de 1,69 de aumento no salário.

Publicado por Portal Atualidade em Terça-feira, 29 de maio de 2018